COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Conflitos

NOTA PÚBLICA - A prisão do chefe da milícia armada dos fazendeiros do Sudeste do Pará

NOTA PÚBLICA - A prisão do chefe da milícia armada dos fazendeiros do Sudeste do Pará

Organizações e entidades sociais do Pará, entre elas a CPT, divulgam Nota Pública sobre a prisão por policiais da Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (DECA) de Marabá, no último dia 17, de José Iran dos Santos Lucena, seu filho Matheus da Silva Lucena e de Hamilton Silva Ribeiro, por integrarem, de acordo com o documento, "a maior milícia armada com atuação no campo na região sudeste do Pará, a serviço de fazendeiros". Confira:…

Leia mais:

Movimentos do Campo do Piauí entregam reivindicações para Governo do Estado

Movimentos do Campo do Piauí entregam reivindicações para Governo do Estado

O conjunto dos movimentos sociais que representa o campo e a agricultura familiar do Piauí, realizou entre os dias 17 e 18 o Encontro Estadual para a Regularização Fundiária no Centro de Treinamento da Emater. A governadora em exercício, Regina Sousa, participou da atividade e recebeu a pauta de reivindicação dos movimentos.

Leia mais:

Carta em defesa dos povos indígenas, dos territórios culturais e dos direitos humanos: “nenhuma gota de sangue a mais”

Carta em defesa dos povos indígenas, dos territórios culturais e dos direitos humanos: “nenhuma gota de sangue a mais”

Em documento, a Arquidiocese de Porto Velho (RO), a Comissão Pastoral da Terra e o Grupo de Pesquisa em Gestão do Território e Geografia Agrária da Amazônia (GTGA) da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) destacam: “Não podemos nos silenciar frente a política do atual governo brasileiro que estimula violências contra os povos do campo e comunidades tradicionais, com o objetivo de entregar os territórios culturais aos interesses do capital internacional”. Confira:

Leia mais:

Relatório Mundial 2019: Revertendo Ataques de Autocratas contra Direitos

Relatório Mundial 2019: Revertendo Ataques de Autocratas contra Direitos

Há uma crescente tendência global de confrontar os abusos de autocratas que dominam as manchetes, disse hoje a Human Rights Watch no lançamento de seu Relatório Mundial  2019. Dentro da União Europeia, nas Nações Unidas e ao redor do mundo, coalizões de Estados, frequentemente com apoio de grupos da sociedade civil e protestos populares, estão pressionando contra populistas contrários a direitos.

Leia mais: