COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Conflitos

Cerca de 500 famílias temem violência policial durante despejo no Tocantins

Cerca de 500 famílias temem violência policial durante despejo no Tocantins

Segundo informações divulgadas nesta última segunda-feira, 18, pela Assessoria de Comunicação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), as mais de 500 famílias que vivem no Acampamento Olga Benário, no município de Fortaleza do Tabocão, no Tocantins, devem ser despejadas hoje pela Polícia Militar do estado. O Movimento manifesta, no informe abaixo, preocupação com a ação policial. Confira:

Leia mais:

No lugar de respostas, general da Funai ameaça despejar ocupação Guajajara à sede do órgão no MA

No lugar de respostas, general da Funai ameaça despejar ocupação Guajajara à sede do órgão no MA

Completou uma semana a ocupação dos Guardiões da Floresta da Terra Indígena Arariboia à sede regional da Fundação Nacional do Índio (Funai), em Imperatriz (MA). Ao invés de soluções para a proteção e fiscalização da terra, chegou um ultimato: os indígenas deveriam sair da sede até o meio-dia desta sexta-feira, 1, ou então serão despejados à força.

Leia mais:

No RN, Sem Terra denunciam violência no campo e são reprimidos pela polícia

No RN, Sem Terra denunciam violência no campo e são reprimidos pela polícia

Na manhã desta terça-feira (22), o MST no Rio Grande do Norte trancou as BR 406 - na altura de São Gonçalo do Amarante e no trecho que liga Ceará Mirim a Natal - e a BR 101, na altura de Muriú. Os manifestantes foram reprimidos em ação de desocupação das rodovias pela Tropa de Choque, com violência, balas de fogo e borracha, bombas de gás e uma série de agressões.

Leia mais:

Avança na justiça processo sobre terra ocupada pelo MST em Goiás

Avança na justiça processo sobre terra ocupada pelo MST em Goiás

Nesta terça-feira (22), o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) julgará o processo de adjudicação de uma área de cinco mil hectares da fazenda Ouro Branco, de propriedade da Usina Santa Helena. A área está localizada na cidade de Santa Helena de Goiás, a cerca de 200 quilômetros de Goiânia, e foi ocupada pela primeira vez em setembro de 2015. Houve uma segunda ocupação em agosto de 2016.

Leia mais: