COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Conflitos

Members of the Cajueiro Community in São Luís (MA, Brazil) resist against repression actions

Members of the Cajueiro Community in São Luís (MA, Brazil) resist against repression actions

During a press conference on Tuesday (13), at 9 o’clock, held at the Brazilian Bar Association (OAB), sectional Maranhão, in the capital São Luís, were reported violent police actions that expelled supporters and residents of the Cajueiro Community who were protesting in front of the Palácio dos Leões on the night of Monday, 12th. They were protesting against the eviction that destroyed 17 houses and affected about 80 families. Two people have been detained, one during the eviction and one at the protest outside the government Palace. Later they were released.…

Leia mais:

Comunidade do Cajueiro é ameaçada de despejo forçado

Comunidade do Cajueiro é ameaçada de despejo forçado

Despejo forçado de moradores da comunidade do Cajueiro,  zona rural de São Luís (MA), ocorre em meio à série de arbitrariedades relatadas por pessoas da comunidade e pela sociedade civil. Cerca de duas centenas de policiais militares foram mobilizados para retirar mais de 80 famílias da área para construção de um porto privado da empresa WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais Ltda. Desde o domingo (11) a comunidade está acampada em frente ao Palácio do Governo do Maranhão.…

Leia mais:

No Seringal São Bernardo (AC), policiais agridem e ameaçam jovens trabalhadores por horas

No Seringal São Bernardo (AC), policiais agridem e ameaçam jovens trabalhadores por horas

O Seringal São Bernardo, na região de Rio Branco, no Acre, é também conhecido como Fazenda União III, e possui 17 mil hectares. A área está inserida na Bacia Hidrográfica do Riozinho do Rôla, que, ao todo, possui 763.695 hectares e se destaca como um dos principais afluentes da bacia do Rio Acre, contribuindo significamente para o abastecimento de água da capital. É uma área em conflito desde os anos 2000. No Seringal há mais de 30 anos, as famílias de posseiros vivem da extração de castanha, borracha e lavoura. Após um longo histórico de conflitos devido os planos de manejo sustentáveis, nesta última terça-feira, 06, dois jovens da comunidade foram agredidos ao longo de horas por policiais militares, conforme denúncia.…

Leia mais: