COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Articulação CPT's da Amazônia

Atlas de Conflitos na Amazônia é disponibilizado para download

Atlas de Conflitos na Amazônia é disponibilizado para download

Lançada em setembro de 2017, a publicação é uma iniciativa da Articulação das CPT’s da Amazônia – projeto da Comissão Pastoral da Terra (CPT) que reúne os nove regionais presentes na Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Tocantins, Pará, Rondônia, Roraima, Maranhão e Mato Grosso. O Atlas tem como objetivo visibilizar, principalmente através de mapas e gráficos, os conflitos no campo presentes nestes estados.

Leia mais:

Em Puerto Maldonado, Papa Francisco se encontra com os povos da Amazônia

Em Puerto Maldonado, Papa Francisco se encontra com os povos da Amazônia

Nesta sexta-feira, 19, o Papa Francisco visitou Puerto Maldonado, no Peru, e se reuniu com povos da Amazônia no Coliseu Regional Madre de Dios. O encontro teve início por volta das 13h30, horário de Brasília. Cerca de três mil indígenas participaram do encontro com o pontífice, conforme informações do portal Vatican News.

Leia mais:

Atlas de Conflitos na Amazônia é lançado em Manaus

Atlas de Conflitos na Amazônia é lançado em Manaus

O Atlas de Conflitos na Amazônia foi lançado nesta última quinta-feira, 30, na sede da Comissão Pastoral da Terra (CPT) em Manaus, no estado do Amazonas. Cerca de 50 pessoas participaram desse momento, entre religiosos e religiosas, trabalhadores e trabalhadoras, agentes de pastoral, integrantes de movimentos sociais, e membros da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam).

Leia mais:

MPPA e CPT lançam em Belém Atlas de Conflitos na Amazônia

MPPA e CPT lançam em Belém Atlas de Conflitos na Amazônia

Nos últimos anos, a Amazônia se destacou pelo aumento da violência no campo. Ano passado foram registrados 61 assassinatos por conflitos no campo no país, sendo que 48 desses assassinatos ocorreram na Amazônia Legal. Em 2017, segundo dados parciais da Comissão Pastoral da Terra (CPT), esse número aumentou para 64 mortes no Brasil, sendo 49 apenas na Amazônia Legal.

Leia mais: