COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

Dia da água, água de cada dia

Dia da água, água de cada dia

Um país que é o mais rico em água doce do mundo

Que tem a maior malha hídrica de rios do planeta

Que tem chuva em todo território nacional

 

(Por Robe…

Leia mais:

Comer é um ato de fé!

Comer é um ato de fé!

Nós, comprovadamente, ficamos sabendo que precisamos de uma agricultura agroecológica se quisermos comer alimentos sadios. Da forma como a indústria de alimentos está organizada, não temos saída.

Leia mais:

A morte do pajé Tëpi Matis e a força desencorporada da cobra

A morte do pajé Tëpi Matis e a força desencorporada da cobra

Tëpi Pajé é o nome de um forte xamã do povo Matis. Na língua matis, Tëpi era chamado de xó’xókit, palavra que nomeia aquele que cozinha o xó, aquele que carrega, porta, possui ou trabalha com muito xó. O Xó é a substância xamânica e de poder para os matis. Tëpi era o único em seu povo a ser chamado xó’xókit, um curador poderoso a quem muitos índios de outras etnias também recorriam para se tratar. Nesta terça-feira, 7 de março, o xó’xókit matis morreu e passou a ser tsussin (uma força desencorporada).

Leia mais:

Transposição, a hora da verdade

Transposição, a hora da verdade

Sem atacar as causas de destruição do São Francisco, que abrange toda sua bacia, mas principalmente a devastação do Cerrado, não haverá São Francisco em breve tempo. O paradigma da convivência com o Semiárido mostrou-se eficaz, enquanto o paradigma do combate à seca só encheu as burras dos coronéis.

Leia mais:

Nossa Senhora das Grotas e Aparecida no samba

Nossa Senhora das Grotas e Aparecida no samba

O sagrado e o profano não têm distinção no meio do povo. Conforme a famosa frase de Moraes Moreira “sagrado e profano o baiano é carnaval”. O que interessa é a festa. Os demais elementos vêm como auxiliares, inclusive se o enredo for sobre Nossa Senhora Aparecida ou Nossa Senhora das Grotas abrindo o desfile de Grande Rio em homenagem à Ivete Sangalo.

Leia mais:

11º Mandamento

11º Mandamento

A Quaresma continua a mesma e, com as Campanhas da Fraternidade, cada vez melhor. É um tempo que rememora os 40 anos do povo de Israel no deserto, ou 40 dias de Jesus no deserto, ou 40 dias que a Igreja delimitou como anteriores à celebração da Páscoa. Os sinais de “conversão”, no sentido de “rasgar os corações e não as vestes”, são o jejum, a oração e a esmola. Mas, o que importa é a conversão permanente.

Leia mais: