COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Um pouco dos sabores deste imenso Brasil foi levado ao IV Congresso Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT), realizado entre os dias 12 e 17 de julho, no campus da Universidade Federal de Rondônia (Unir), em Porto Velho. Divididas por Grandes Regiões, cozinheiras e vários/as ajudantes contribuíram na alimentação das centenas de pessoas que participaram do evento.

 

(Equipe de Comunicação João Zinclar – IV Congresso Nacional da CPT

Imagens: Joka Madrugada)

Foram seis cozinhas instaladas e divididas por Grandes Regiões: Centro-Oeste, Norte, Nordeste, Noroeste, Sul e Sudeste. Ao longo desses dias, foram partilhadas comidas regionais e receitas caseiras de comunidades, o que revela, mais uma vez, a diversidade de sabores presentes entre os povos do campo. Na cozinha da região Norte, por exemplo, teve caldeirada de peixe, arroz com camarão e arroz com carne de sol. Já na cozinha do Nordeste teve baião de dois e churrasco de bode. Essas são apenas algumas comidas saboreadas pelos congressistas.

Era café da manhã, almoço, lanche e janta. Para alimentar centenas de pessoas, as cozinheiras e demais ajudantes voluntários trabalharam muito. Acordavam cedo e só paravam após o jantar. Por todo esse esforço para alimentar os/as congressistas, cozinheiras/os foram homenageados ao fim do Congresso e também com uma exposição fotográfica de Joka Madrugada (Confira abaixo).

Dona Ester foi uma das pessoas que contribuiu com a alimentação nesses dias. Quando conversamos, ela cortava abóbora para o almoço do penúltimo dia de Congresso. “Sou acostumada a cozinhar para muita gente. Já participei de grandes manifestações e caminhadas. E sempre cozinhei”, afirmou, sorrindo.

Ela, hoje, é assentada no município de Tucuruí, no Pará. Mas bem antes, era atingida por barragem. Não recebeu nenhuma indenização, assim como muitos e muitas. “Entrei para o MST e consegui minha terrinha”, conta. No lugar onde mora com os filhos e netos, dona Ester planta cacau, laranja, arroz, mandioca, melão, e mais uma infinidade de alimentos. Trabalhar ao lado de Ester é alegria na certa. “Gosto de estar na cozinha rindo, contando piada”, diz.

Na cozinha do Norte, por exemplo, a equipe planejou a rotina de trabalho. Uma turma começava a contribuir nas cozinhas às 05 horas da manhã e os demais às 06 horas. À noite, voluntários eram chamados para ajudar a lavar as panelas. 

Alimentos

Para alimentar os/as participantes durante esses dias de Congresso, paróquias e trabalhadores/as rurais de Rondônia doaram diversos alimentos, como por exemplo: mais de 100 quilos de café, 250 quilos de melancia, 400 quilos de arroz. Além disso, entre produtos que foram comprados, estão 20 porcos e 220 quilos de peixe – comprado de uma associação de pescadores da região. Segundo a equipe de compras do Congresso, cerca de 30% dos alimentos utilizados no evento foram doados. Todavia, os regionais da CPT também levaram alimentos típicos de suas regiões.

Ensaio ‘Alimentando a luta’ – Joka Madruga

‘’Dai pão a quem tem fome. E fome de justiça a quem tem pão’’.

O IV Congresso Nacional da Comissão Pastoral da Terra é um tempo de reflexão. Tempo de reunir a família para avaliar, discutir e construir coletivamente avanços para a continuidade da luta em busca do sonho comum. Mas, como fazer uma reunião de família de barriga vazia? É simples. Não se faz.

Dessa forma, faz-se necessário reconhecer o trabalho voluntário de dezenas de mulheres e homens que viajaram milhares de quilômetros para garantir as refeições diárias de cerca de mil pessoas que participam do nosso Congresso. Além dos temperos variados, vindos de todos os cantos do Brasil, as cozinhas regionais carregam a diversidade dos sonhos, anseios e histórias das vidas que, de alguma forma, convergiram e se encontraram aqui em Porto Velho (RO).

Esse ensaio fotográfico é uma homenagem para essas pessoas. As fotos são do repórter fotográfico Joka Madruga – colaborador da Equipe de Comunicação João Zinclar e do site Terra Sem Males, que cobriu o evento.

Confira as imagens da exposição:

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir