COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Ao longo de quatro dias, agentes da CPT visitaram e se reuniram com povos ribeirinhos atingidos pelas enchentes do Rio Purus. Na oportunidade, ribeirinhos e agentes fizeram memória aos Congressos da CPT.

 

(Fonte: CPT Acre)

Entre os dias 4 e 8 de maio, a CPT Acre realizou reuniões e visitas nas comunidades ribeirinhas atingidas pelas enchentes do Rio Purus nos municípios de Boca do Acre, no Amazonas, e Porta Acre, no Acre. Ao longo desses dias, os agentes se encontram com cerca de 250 pessoas. Algumas pessoas perderam suas casas e pertences, mas quase todas as famílias perderam suas plantações.

Todas essas famílias ribeirinhas já são acompanhadas pela CPT. As reuniões com integrantes das comunidades aconteceram nas casas das famílias atingidas ou durante as viagens de barco.  

Durante os encontros, ribeirinhos e agentes fizeram memória aos Congressos anteriores da CPT. Além disso, foi um momento de preparação e escolha das pessoas que integrarão a delegação do Acre no IV Congresso Nacional da CPT, que acontecerá entre os dias 12 e 17 de julho, em Porto Velho, Rondônia.

Campanha

Assim que iniciaram as enchentes, nesse ano, a CPT Acre fez uma campanha para arrecadar contribuições para as famílias. Trabalho esse realizado em parceria com a Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE), Comitê Católico contra a Fome e para o Desenvolvimento (CCFD), e Fundação Luterana de Diaconia (FLD). “A CPT pôde mais uma vez cumprir nossa missão de acompanhar os pobres da terra e das águas e ser presença nas comunidades ribeirinhas”, destaca o Regional.

Mesmo após toda destruição causada pelas enchentes, os ribeirinhos trazem nos olhos a esperança. Pensando nisso, a CPT no Acre lembra algumas palavras de Cosme Capistano, veja: 

 

                                                                                                         Plantar é muito mais profundo

Engrandece o mundo é uma prece a natureza

Quem planta espera

O milagre do pão o pequenino grão inundando a mesa

 

Por isso estou assim plantando o meu cantinho

Comparando um grande rio que subindo trasbordou

De alma cheia meu olhar é uma canoa

Meu cantar de popa á proa o pão que a terra germinou.

 

Quem planta espera

Quem espera um dia alcança

Todos temos a esperança de um pais justo e feliz

Que a forte crise não traga fome e nem guerra

Nem o empobrecimento do nosso planeta terra.

 

Motivados em plantar é muito mais profundo (Cosme Capistano)

 

Veja mais imagens das visitas e reuniões:

 

SAIBA MAIS: Desmatamento e a pior enchente em 132 anos em território acreano

 

 

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir