COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Somente nos primeiros 17 dias de agosto, foram detectados pelos 10 satélites de monitoramento da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), mais de oito mil focos de incêndio em todo estado de Rondônia. 

 

(Fonte: Secom Rondônia)

Na terça-feira (19), uma equipe da Sedam, munida de GPS e mapas georreferenciados, identificou vários incêndios provocados nas Linhas A-02, 09, 27 e 43 do município de Candeias do Jamari, constatando uma destruição de mais de mil hectares de matas nativas, equivalentes a quase mil campos de futebol.

No lote 143 – Gleba Baixo Candeias – da Linha A-02, além de mais de 250 hectares derrubados e queimados, foram encontrados reservatórios de material inflamável, cartuchos de balas calibre 20mm e as porteiras estavam trancadas com correntes e cadeados. No quilômetro 1 da Linha 09, há uma encosta de morro e uma área em frente que, somadas, ultrapassam 200 hectares de queimada criminosa.

Os agentes ambientais da Sedam verificaram a área e pediram informações a diversas pessoas presentes na sede da fazenda sobre os nomes do proprietário ou responsável, porém todos disseram que eram amigos de funcionários ou que estavam apenas de passagem e não os conheciam.

“É sempre a mesma coisa. Quando nos veem, tratam de se esconder e mandam dizer que não estão”, constatou Paulo Araújo, agente de proteção ambiental da Sedam, responsável pelo monitoramento e identificação dos responsáveis pelas queimadas em Rondônia.  “Nada disso vai livrá-los das penalidades legais e criminais, pois temos provas suficientes, tanto de monitoramento via satélite, quanto fotos e filmagens dos ilícitos”, advertiu.

Assim que identificados, os responsáveis serão indiciados, legal e criminalmente, e as multas poderão chegar a mais de R$ 10 milhões.

“Olhando esta destruição, me lembro das cenas de filmes sobre as guerras medievais, com os campos de batalha esfumaçados pela queima dos corpos dos mortos. As nossas matas e animais estão sendo dizimados por criminosos irresponsáveis”, desabafou Paulo Araújo.

Números negativos

As previsões para o mês de agosto deste ano, feitas pela Coordenação de Geociência (Cogeo) da Sedam, não são nada animadoras, pois até o dia 17 já foram registrados mais focos de incêndios que no mesmo período de 2010, ano recorde em queimadas, desde que iniciou a série de registros, com 15 mil no mês de agosto inteiro.

“Com certeza bateremos este doloroso recorde este ano”, afirmou Fábio Adriano da Cogeo, segundo o qual, nos 31 dias do mês de agosto de 2014 foram registradas 10 mil queimadas. ”O pior ainda está por vir, pois de setembro a novembro a tendência é aumentar”, prevê Fábio.

Araújo informou que a multa para o crime de derrubada ilegal de matas nativas é de R$ 5 mil, por hectare; e para o crime de queimada, é de R$ 1 mil. “Como as áreas identificadas têm, em média, 200 hectares, cada responsável pagará aos cofres públicos mais de R$ 1 milhão”.

Paulo lembrou que existem outras maneiras de se limpar uma área para plantio ou pastagem, com menos impacto ambiental e dentro da legalidade, como os sistemas agroflorestais, o sistema plantio direto, a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), entre outras.

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir