COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

América Latina

O acesso à água no Haiti: entre a privatização e a solidariedade

Muitos são os desafios do povo haitiano na tarefa de reconstrução do país após o terremoto de 12 de Janeiro de 2010 que vitimou mais de 300 mil pessoas e desabrigou outras 1,5 milhão.  No entanto, uma das demandas mais emergenciais – e que já dificultava a vida de milhões de haitianos bem antes do terremoto – é a do acesso à água limpa.…

Leia mais:

Camponeses marcham contra a Monsanto e pela Soberania Nacional no Haiti

Camponeses marcham contra a Monsanto e pela Soberania Nacional no Haiti

Na última sexta-feira, 4 de junho, na região de Papay, no departamento Central do Haiti, milhares de camponeses e camponesas marcharam. Eles vinham de todos os confins do país e gritavam em uníssono: “Abaixo a Monsanto. Abaixo as sementes transgênicas e híbridas. Viva as Sementes Nativas Crioulas!”

 

Leia mais:

Camponeses haitianos convocam marcha contra Monsanto

A notícia de que a multinacional Monsanto iniciou uma doação de 475 toneladas de sementes de milho ao Haiti vem causando sérias divergências na sociedade haitiana, em especial nos movimentos camponeses. Para denunciar esse presente mortal da Monsanto, os movimentos camponeses estão organizando uma série de manifestações e atos públicos ao longo de todo o país. O primeiro deles ocorrerá hoje, 4 de junho, na região de Papay, no departamento Central do Haiti.

Leia mais:

Monsanto e o Projeto Vencedor no Haiti

Sementes transgênicas estão sendo doadas ao Haiti pela empresa estadunidense Monsanto. A denúncia foi feita no último dia 10 de maio em artigo escrito pelo Padre inglês Jean-Yves Urfié, ex-professor de química do Collège Saint Martial, em Porto Príncipe.

Leia mais:

Camponeses haitianos marcham pela Reforma Agrária

Camponeses haitianos marcham pela Reforma Agrária

Sob o lema “Segurança e Soberania Alimentar são as maiores armas para combater a fome no mundo, especialmente no Haiti”, centenas de camponeses e camponesas haitianas marcharam pelas ruas do município de Gwomòn, no departamento de Latibonit. A marcha denuncia os problemas de falta d’água, sementes, ferramentas, educação e assistência médica.

Leia mais: