COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

O Banco de Sementes Crioulas “Sementes da Solidariedade”, organizado pela Comissão Pastoral da Terra da Diocese de Santa Cruz do Sul, ganhou, em 2º Lugar, o IV Prêmio Odair Firmino de Solidariedade durante a XIX Assembleia Nacional da Cáritas Brasileira, ocorrida em Brasília entre os dias 17 e 20 de outubro.

 

O Prêmio Odair Firmino de Solidariedade é concedido pela Cáritas Brasileira, que através de um júri nacional seleciona as três experiências mais significativas de acordo com a temática. “Soberania Alimentar e Solidariedade - Alternativas para as desigualdades sociais” foi o tema deste ano.

 

Odair Firmino nasceu em 22 de junho de 1945 e faleceu em 05 de julho de 2008 e teve a sua vida marcada pelo trabalho exemplar em favor dos mais excluídos e excluídas. Liderança muito atuante na Cáritas Brasileira, seu exemplo de trabalho social e dedicação aos pobres, inspirou a criação do prêmio Odair Firmino de Solidariedade.

 

Oldi Helena Jantsch foi à Brasília, representando o projeto do Banco de Sementes Crioulas, e participou da Assembleia Nacional da Cáritas, e recebeu o prêmio com muita alegria pelo reconhecimento nacional do trabalho que a CPT Diocesana realiza em prol das sementes crioulas e dos agricultores e agricultoras.

 

A Diocese de Santa Cruz do Sul, a Ação Social Diocesana de Santa Cruz do Sul-ASDISC estão de parabéns pelo prêmio recebido, estão de parabéns por apostar numa iniciativa tão importante e significativa com é a do Banco de Sementes Crioulas e por apostar nas lideranças que levam a frente o trabalho das sementes crioulas e da agroecologia. Parabéns aos agricultores, agricultoras e jovens da roça participantes da Escola de Jovens Rurais, que com muita dedicação e carinho cultivam sementes crioulas e fazem o projeto ser o que é, um projeto transformador.

 

O Banco de Sementes Crioulas é um projeto organizado pela Comissão Pastoral da Terra da Diocese de Santa Cruz do Sul, com resgate e multiplicação de sementes crioulas, desenvolvimento de experiências ecológicas visando alimentação saudável, soberania e segurança alimentar. As sementes são repassadas às famílias camponesas, devendo elas multiplicar e devolver o dobro para que o Banco possa repassar para outras famílias. O Banco não movimenta dinheiro, e sim sementes de forma solidária. Há 13 anos o projeto realiza os Encontros Diocesanos de Sementes Crioulas.

 

O Prêmio - além do troféu o projeto receberá R$ 5.000,00 de incentivo para continuar firme na luta em defesa das sementes crioulas, do povo da roça e da soberania alimentar.