COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Dia 9 de janeiro, o ano nem bem amanheceu e o espaço comunitário do Quilombo Santa Rita do Bracuí se preparava para receber mais um encontro ampliado de planeamento da Romaria, agendada para acontecer no dia 26 de julho. Revigoradas/os pelas energias de começo de ano, o Quilombo do Bracuí e a rede de parceiros da região, começa 2020 avançando na construção da XVI Romaria da Terra.

"Água vem do céu, molhando nossa terra. Que essa água vá longe, encontrando o mar. Que essa água mate a sede de todos os seres" Canto Guarani - Aldeia Sapucaí

(Texto: Natália Almeida (ABA-Agroecologia/AARJ) / Fotos: Eduardo Di Napolli (OTSS - Fiocruz/AARJ)

Quem chegava, ia colorindo a mesa com alimentos: aipim cozido, angu, biscoito, bolo de cenoura, frutas, chá e café preparam o caminho para o almoço coletivo previsto para o fim do encontro. No meio da reunião, dois palmitos pupunha fartos descem do carro nas mãos de uma das representantes das juventudes do Quilombo. Quando chega a van, transportando parceiras/os do Rio de Janeiro e da Baixada Fluminense, o grupo cresce e a reunião toma ainda mais forma. É a confluência dos povos dando cor à Romaria.

O povo indígena da Aldeia Sapucaí compõe, junto com as/os companheiras/os da Comissão Pastoral da Terra e com lideranças do município de Angra dos Reis, a mística de abertura do encontro que tem como lastro principal a definição das comissões de trabalho e o planejamento coletivo da Romaria. Entre os olhares, anúncios e denúncias que nos unem e nos mobilizam no cuidado com a água e com a terra, traduzido na composição musical do povo Guarani que abre esse relato.

Coordenação Geral e Metodologia, Coordenação Local, Infraestrutura, Comunicação e Mobilização, Ciranda, Finanças foram os principais grupos formados para o nosso caminhar coletivo. Missões populares, agendas de festividades locais, datas de luta e resistência como, por exemplo, o dia do trabalho, o encontro estadual quilombola e a agenda de luta das mulheres em março, são apenas algumas das datas que compõe a agenda socializada ao final da reunião e que integram a articulação da construção da Romaria da Terra.

Outro encaminhamento importante foi com relação ao processo de divulgação: até o começo de fevereiro, os cartazes estarão finalizados para serem distribuídos nas paróquias, escolas, quilombos, aldeias, assentamentos, associações e comunidades, no campo e na cidade, dando mais um passo no processo de articulação.

Até a Romaria, temos um pouco menos de seis meses de trabalho em rede no quilombo, no município, no território e no estado. As comissões estão abertas para acolher novas pessoas integrantes e a agenda de atividades preparatória está em permanente construção. “Bem viver: cuidando da casa comum para que todas e todos tenham vida”, é o lema da Romaria da Terra.

 

Registro completo no endereço abaixo:

https://drive.google.com/drive/folders/15gfxbWrWiQ82cbdMBWD5IOLWRv-0952I?usp=sharing