COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

A CPT Bahia, equipe Centro Oeste, realizou no último dia 8 de maio um intercâmbio/troca de experiências entre as comunidades dos Baixões com representantes das comunidades atingidas pelo Projeto de Irrigação Baixio de Irecê, dos municípios de Xiquexique e Itaguaçu. O encontro aconteceu na Comunidade Baixio de Aleixo, no município de Barra, na Bahia.

 

(Fonte: CPT Bahia)

Seguindo a proposta metodológica de preparação do IV Congresso Nacional da CPT e do seu tema: “Memória, Rebeldia e Esperança: Faz escuro, mas eu canto”, mais de 150 pessoas participaram do intercâmbio, que contou com visita ao território das comunidades dos Baixões, exposição da história de resistência das comunidades e relatos das formas de enfrentamento ao forte processo de invasão de seus territórios por fazendeiros e empresas para instalação de grandes projetos de irrigação.

Os participantes conseguiram fazer memória das lutas de resistências, rebeldia e esperança de que seus direitos socioambientais sejam garantidos e efetivados.

O Intercâmbio é um momento de profundo aprendizado, troca de saberes, fortalecimento do protagonismo das famílias camponesas, bem como a autonomia das diversas comunidades presentes.

Gilmar, da comunidade de São João de Itaguaçu, considerou o encontro um momento de aprendizado. “O Intercâmbio foi muito importante, significou para nós, momento de organizar nossas comunidades em defesa de nossas terras e territórios”, disse.

Com mais essa atividade, a CPT Bahia reafirma sua missão junto às comunidades tradicionais (ribeirinhas, fundo e fecho de pasto, quilombolas, e outras) na perspectiva de que a sua cultura e modo de vida sejam respeitados e que o direito à terra e território sejam efetivados, como garante a Constituição Federal.

O IV Congresso Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT) acontece entre os dias 12 e 17 de julho, em Porto Velho, Rondônia.

 

SAIBA MAIS: Rumo ao IV Congresso Nacional da CPT

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir