COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Morreu na madrugada desta sexta-feira (14), dona Maria de Jesus Bringelo, dona Dijé. Mulher negra, quilombola, quebradeira de coco babaçu, um referencial como ser humano e para a luta dos povos e comunidades tradicionais, ela deixa uma grande legado para os povos e comunidades tradicionais do Brasil. Confira a Nota de Falecimento divulgada pelo Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB):

(foto: Andressa Zumpano)

Uma mãe palmeira se despede
A notícia que não queríamos dar...esta noite perdemos uma grande mulher, mãe, avó, liderança faleceu de infarto fulminante dona Maria de Jesus Bringelo, dona Dijé. Mulher negra, quilombola, quebradeira de coco babaçu, um referencial como ser humano e para a luta dos povos e comunidades tradicionais. Uma profunda tristeza invade os nossos corações e custamos a acreditar que não mais compartilharemos de seu sorriso, de sua adorável companhia do seu jeito firme e suave de se posicionar. Ficam a história, o aprendizado e o exemplo quem sempre lutou pelos direitos das mulheres, dos quilombolas, dos indígenas, dos pct´s. De quem sempre lutou pelo acesso livre ao território. Como ela mesma falava “Nós queremos o território para nascer, viver, germinar e morrer”. E foi assim, no quilombo Monte Alegre que ela se despediu. Nóse as florestas de babaçuais sentimos a sua falta. Segue Mãe Palmeira teu caminho. Tua trajetória foi vitoriosa e teus ensinamentos já fizeram e reforçaram a luta pela liberdade e dignidade dos povos. 
Dijé presente!
Com pesar Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (texto MIQCB)

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir