COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

No último dia 19 de abril um grupo de homens encapuzados torturou e matou nove trabalhadores rurais. A polícia investiga o caso, que pode estar relacionado a conflito de terra. A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promove audiência pública interativa nesta terça (2) sobre o assunto.

 

(Fonte/Foto: Agência Senado).

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promove audiência pública interativa na terça-feira (2) sobre a chacina ocorrida no assentamento rural de Taquaraçu do Norte, localizada no município de Colniza, a 1.065 quilômetros de Cuiabá, no Mato Grosso. A iniciativa é do senador Paulo Paim (PT-RS).

No último dia 19 de abril um grupo de homens encapuzados torturou e matou nove trabalhadores rurais. A polícia investiga o caso, que pode estar relacionado a conflito de terra.

Para falar do episódio foram convidados a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira; o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Leonardo Góes Silva; o coordenador da Comissão Pastoral da Terra de Mato Grosso, Inácio Werner, e representantes dos movimentos de trabalhadores rurais como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

LEIA MAIS: ONU cobra do Brasil mortes no campo e de defensores de direitos humanos

NOTA PÚBLICA PASTORAIS DO CAMPO - Omissão e impunidade geram mais um massacre no campo

VÍDEO - Massacre de Colniza

A audiência é realizada em caráter interativo, com a possibilidade de participação popular. Para isso, basta que os interessados mandem comentários ou perguntas por meio do Portal e-Cidadania (www.senado.leg.br/ecidadania) e do Alô Senado, através do número-0800612211.

A reunião ocorre a partir de 8h30, no Plenário 6 da Ala Nilo Coelho.

Acesse o vídeo apresentado durante a audiência, com os registros sobre o #MassacreDeColniza e os casos de violência no campo.

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir