COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

As experiências desenvolvidas pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) em Campina Grande, na Paraíba, foram reconhecidas como iniciativas que objetivam melhorar a qualidade de vida das populações e as condições dos ecossistemas afetados e pela desertificação e a seca no Brasil.

 

(Por CPT Nordeste II | Imagem: MMA)

A Comissão Pastoral da Terra de Campina Grande/PB recebeu, na última sexta-feira (17), o prêmio internacional Dryland Champions, concedido pela Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD). A premiação, que ocorreu no Ministério do Meio Ambiente, em Brasília, visou homenagear organizações que contribuem para o manejo sustentável de solos nas áreas suscetíveis à desertificação e que objetivam, principalmente, melhorar a qualidade de vida das populações e as condições dos ecossistemas afetados pela desertificação e a seca no país.

Na ocasião, a CPT em Campina Grande foi homenageada por sua histórica atuação no processo de fortalecimento da agricultura camponesa e estímulo à produção agroecológica em áreas de assentamento e Comunidades Tradicionais, localizadas especialmente nas regiões do Carirí, Curimataú e agreste da Borborema. São milhares de famílias camponesas que resistem em suas terras e territórios, com o apoio da CPT, e desenvolvendo iniciativas que se tornaram exemplos nacionais e internacionais de convivência com o semiárido.

Vanúbia Martins, coordenadora da CPT e integrante da equipe de Campina Grande, ressalta que, para a CPT, a entrega do prêmio não foi somente um reconhecimento do serviço da Pastoral, mas principalmente dos "esforços e resistências dos próprios camponeses e camponesas em permanecer na terra na região do seminárido". Vanúbia ressalta ainda a importância da garantia do direito à terra como estratégia primeira para melhorar a qualidade de vida das populações atingidas pela seca.

De acordo com a coordenadora da CPT, nenhuma iniciativa de combate à desertificação pode ser levada adiante se não houver garantia do direito à terra e ao território. "Sem a terra, não há como fazer estímulo à recuperação dos solos ou fortalecimento da agroecologia".

 Além da CPT, outras 21 instituições também foram homenageadas. Durante a cerimônia que homenageou a iniciativas, a coordenadora da CPT relembrou a missão da Pastoral e ofereceu o prêmio aos 40 anos de compromisso da CPT com os povos do campo, das águas e das florestas.

 A entrega do prêmio ocorreu no Dia Mundial de Combate à desertificação. A data, 17 de junho, foi criada pela ONU com o intuito de ampliar o debate acerca da temática. Segundo a ONU, a desertificação atinge 42% das terras do planeta e 35% da população mundial.

Mais informações:

Comissão Pastoral da Terra - Regional Nordeste II

Contato: Renata Albuquerque (81) 3231.4445/ (81) 9663.2716

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir