COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Proposta de momentos de formação que abordem a história da Pastoral da Terra surgiu em dezembro de 2016 durante encontro da Grande Região Norte. Em Macapá, nos dias 18 e 19 de fevereiro, ocorreu o primeiro encontro de formação deste ano.

 

(Por Articulação das CPT’s da Amazônia)

Com objetivo de fortalecer o trabalho dos Regionais da Comissão Pastoral da Terra (CPT) na Amazônia, aconteceu no Auditório do Pontifício Instituto das Missões Estrangeiras (PIME) em Macapá, no Amapá, nos dias 18 e 19 de fevereiro, encontro de formação com tema "CPT: Missão, Metodologia e Espiritualidade". Esse momento de estudo foi assessorado por Ruben Siqueira, membro da coordenação executiva nacional da Pastoral.

Promovido pela CPT Regional Amapá e Articulação das CPT’s da Amazônia, o evento contou com a participação de agentes pastorais, trabalhadores e trabalhadoras rurais do Amapá e da região de Santarém, no Pará. “Avaliamos que esse encontro de formação foi de suma importância devido à presença de pessoas que colaboram com a CPT, mas conhecem pouco de sua história”, destaca Gilson Rego, agente da CPT em Santarém e membro da Articulação.

LEIA TAMBÉM: CPT’s da Amazônia se preparam para o VIII Fórum Social Pan Amazônico

CPT Amapá realiza encontro de formação neste fim de semana

II Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal é realizado em Belém

“Realizamos trabalhos em grupo nos quais discutimos atuação da CPT. Também fizemos um resgate histórico sobre seu surgimento, sua missão, espiritualidade e metodologia. E buscamos fazer uma definição da Pastoral a partir do olhar dos próprios participantes”, destaca Gilson.

A proposta de momentos de formação que abordem a história da Pastoral da Terra surgiu em dezembro de 2016 durante encontro da Grande Região Norte, quando participaram representantes dos estados do Pará, Tocantins, Maranhão e Amapá.

Em agosto deste ano, os Regionais da CPT no Pará, Tocantins, Maranhão e Amapá realizarão um grande encontro de formação, que deverá ser realizado em Macapá.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir