COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Os Movimentos da Articulação do Campo Unitário e movimentos sindicais do estado de Goiás, divulgam Nota de repúdio às ameaças sofridas pela deputada estadual pelo Partido dos Trabalhadores de Goiás, Adriana Accorsi, sofridas por meio das redes sociais, no dia 16 de novembro de 2020, um dia após realização do primeiro turno das eleições municipais em Goiânia, em que a deputada era candidata a prefeita. De acordo com o documento: "O Campo Unitário, que reúne organizações que atuam no meio rural do Estado de Goiás, manifesta sua solidariedade com a Deputada Adriana Accorsi e familiares, e exige que as autoridades competentes tomem as providências necessárias para garantir a segurança e a integridade física das vítimas (deputada e familiares), além de realizar uma investigação rigorosa para identificar e punir de forma exemplar os agressores, conforme prevê a legislação brasileira". Confira na íntegra:

É PRECISO GARANTIR A VIDA ACIMA DE TUDO!

Repudiamos as ameaças direcionadas a Candidata à prefeitura de Goiânia (GO) em 2020, deputada Adriana Accorsi, do Partido dos Trabalhadores (PT). Trata-se de uma tentativa de intimidação, preconceito e violência, cujo agressor ameaçou de morte a deputada e sua família por meio das redes sociais, no dia 16 de novembro de 2020, um dia após realização do primeiro turno das eleições municipais em Goiânia.

Infelizmente, esse fato se soma a outras manifestações de ódio, que são antidemocráticas, racistas, misóginas e xenófobas que foram noticiadas em todo o país após as eleições municipais de 2020. Não podemos permitir atos dessa natureza e nos calar diante de fatos que atentam contra a Vida, a Liberdade e a Dignidade Humana.

O Campo Unitário, que reúne organizações que atuam no meio rural do Estado de Goiás, manifesta sua solidariedade com a Deputada Adriana Accorsi e familiares, e exige que as autoridades competentes tomem as providências necessárias para garantir a segurança e a integridade física das vítimas (deputada e familiares), além de realizar uma investigação rigorosa para identificar e punir de forma exemplar os agressores, conforme prevê a legislação brasileira.

A vida está acima do lucro e de qualquer forma de poder! Isso é o que temos de mais valioso em nossa existência, dessa forma, é chegado o momento de todos nós combatermos todo o tipo de violência, perseguição e autoritarismo para que não se repita o que aconteceu com a Vereadora Mariele Franco do Rio de Janeiro, assim como já ocorreu com tantas outras pessoas honestas e trabalhadoras que foram vítimas da violência e da opressão, por apenas defenderem a liberdade e a Vida!

Basta de violência e intolerância! É preciso garantir a vida e a democracia para que a Barbárie baseada na “lei do mais forte” não triunfe sobre o Amor ao Próximo, sobre a Justiça e a Dignidade Humana!

Goiânia - GO, 22 de novembro de 2020.

CAMPO UNITÁRIO – GOIÁS.

Comissão Pastoral da Terra – Regional Goiás - CPT/GO;

Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar no estado de Goiás - FETAEG;

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST/GO;

Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar - FETRAF/GO;

Movimento Camponês Popular – MCP.

Só o Povo Organizado em Ação Garante Conquistas Sociais e Produz Cidadania!!!

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir