COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

Na manhã desta terça-feira, 21, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) iniciou, na região Sudeste do estado do Pará, a Jornada de Luta e Resistência contra os despejos de inúmeras famílias. Manifestantes ocuparam rodovias em Marabá, Canaã dos Carajás e se somaram às mobilizações em Parauapebas.

 

"A liberdade da Terra não é assunto só lavradores... é assunto de todos quantos se alimentam dos frutos da terra".

(Fonte: Com informações da Juventude Sem Terra – Pará)

Em Marabá, as famílias dos Acampamentos Dalcidio Jurandir e Hugo Chávez ocuparam trecho da BR-155 na altura do Acampamento Helenira Resende. Os três acampamentos estão na lista das 20 áreas que sofrerão despejos pelo Comando de Missões Especiais (CME) na região do Sul e Sudeste paraense.

SAIBA MAIS: Mais de 2 mil famílias perderão suas casas e plantações em operação de despejo autorizada pela Vara Agrária de Marabá (PA)

Nos municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás, além de ocupar as rodovias, trabalhadores e trabalhadoras ligados ao MST se somaram a militantes do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM) e outras organizações num ato cultural na portaria da empresa Vale S.A. A ação, além de denunciar os crimes do latifúndio e da mineradora na região, tem como objetivo acompanhar a votação das Medidas Provisórias 789/17, sobre royalties; 790/17, que altera o marco legal do setor; e 791/17, que cria a Agência Nacional de Mineração (ANM), em substituição ao atual Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).