COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

No dia 13/08/1987, em Castanhal Pau Ferrado, em Xinguara/Marabá (PA). Nesta ocasião, morreram Manoel Gonçalves de Souza, Francisco Vicente de Lima e Manoel P. do Nascimento. O conflito tem histórico registrado pelo menos desde 1983 na região, quando 400 famílias ligadas à coleta de castanhas conflitavam com monopólio da família Mutran. Pouco tempo antes, em 11 de junho do mesmo ano, foi assassinado o deputado Paulo Fontelles, que figurava sempre como ameaçado de morte por defender os direitos dos trabalhadores rurais no Pará.

Em todo o histórico é comum a presença de assassinatos cometidos por pistoleiros contratados para tal. Pelo menos outras duas chacinas ocorreram entre 1983 e 1984 no local. Dois anos antes, outro massacre foi registrado, no dia 13/04/1985. Durante todo o período, foram promovidos despejos de famílias que habitavam há mais tempo na localidade. Em contrapartida, a desapropriação de terras para a reforma agrária ocorreu sob acusações graves de supervalorização das propriedades para ressarcimento dos fazendeiros, além de aforamentos, quando não havia título das terras e os fazendeiros apenas afirmavam serem proprietários.

Crédito dados: CEDOC Dom Tomás Balduino / CPT

Conteúdo sob licenciamento Creative Commons