COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 


Organização da CPT

  

O trabalho da Comissão Pastoral da Terra abrange todo o território nacional e é realizado com autonomia. Ela é uma Pastoral que possui vínculos com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e está assim organizada:

Assembléia Nacional

É a instância de decisão primeira da CPT. Dela participam os membros da Coordenação Nacional, dois agentes e um trabalhador de cada regional, o representante da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB, bispos e pastores e pastoras acompanhantes das CPTs regionais, os representantes das igrejas cristãs que participam efetivamente do trabalho da CPT e dos membros fundadores que ainda atuam na CPT. Ela é realizada anualmente.

 

Congresso

 

Possui caráter celebrativo. Nele são definidos os grandes eixos de ação da CPT. O congresso, realizado a cada quatro anos, é composto por trabalhadores, que precisam ser maioria, e por agentes da CPT.

 

Coordenação Nacional

 

É uma instância colegiada, por isso, é composta por seis coordenadores, um presidente e vice-presidente, todos eleitos pela Assembléia, para mandato de três anos. Alguns coordenadores residem em Goiânia e atuam junto à Secretaria Nacional. Outros continuam residindo nas bases, onde já atuavam quando foram eleitos, dedicando, porém, parte do seu tempo para as atividades nacionais.

 

Regionais

 

A CPT está organizada em todo o território nacional em 21 regionais, que correspondem basicamente aos estados da Federação, com exceção da regional Nordeste, que abrange os estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte; Bahia, da qual faz parte também Sergipe, Espírito Santo que integra o Rio de Janeiro. Ainda tem a CPT Goiás, que abrange o Distrito Federal, e Araguaia/Tocantins, que cobre o estado do Tocantins e a região Norte Araguaia do Mato Grosso, que corresponde à Prelazia de São Félix do Araguaia. Cada regional tem uma coordenação, eleita em Assembléia, de acordo com o regimento interno e um Conselho.

 

Grandes Regiões

As regionais, em razão das problemáticas comuns enfrentadas e da proximidade geográfica, se articulam através das seguintes seis Grandes Regiões:

GR Noroeste: Regionais Amazonas, Roraima, Acre e Rondônia

GR Norte: Regionais Pará, Amapá, Maranhão e Araguaia/Tocantins

GR Nordeste: Regionais Nordeste, Ceará, Piauí e Bahia/Sergipe

GR Sudeste: Regionais Minas Gerais e Espírito Santo Rio de Janeiro

GR Sul: Regionais São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

GR Centro-Oeste: Regionais Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

 

 

Equipes

 

As equipes locais são a célula básica da organização e do trabalho da CPT, por serem presença constante na vida dos trabalhadores e trabalhadoras do campo. Elas acompanham os diversos grupos de trabalhadores e apóiam sua organização. A maior parte das equipes é formada por agentes voluntários.

 

Diversas equipes estão diretamente vinculadas às regionais da CPT, outras são equipes diocesanas, ligadas às pastorais das Dioceses. Todas, igualmente, fazem parte do corpo da CPT.

 

Secretaria Nacional

 

A sede nacional da CPT está em Goiânia, GO. Nela funcionam os serviços nacionais de Administração, Comunicação e Documentação. A partir da Secretaria Nacional se articulam também as atividades nacionais de Formação.

 

Articulações

 

Eclesiais: A CPT se articula com as demais pastorais e organismos sociais ligados à CNBB. Sua vinculação direta se dá com a Comissão para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz.

 

Ela articula-se também com a Pastoral Popular Luterana – PPL. Esta articulação é mais forte onde a presença da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil é maior. Também mantém relações mais próximas com a Igreja Metodista.

 

Com os movimentos sociais: A CPT integra o Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo e participa do Fórum Brasileiro de Segurança Alimentar. Ela compõe, como entidade de apoio, a Via Campesina Brasileira.

 

Internacionais: A CPT é membro da Pax Christi Internacional, sendo no Brasil seu elo de ligação. Com a FIAN Internacional, ela mantém um convênio de intercâmbio. Um agente da CPT atua na sede da FIAN, em Heidelberg, na Alemanha

 

Coordenação Nacional

 É uma instância colegiada composta por quatro coordenadores executivos, um presidente e vice-presidente, que compõem a diretoria nacional, todos eleitos pela Assembleia Nacional da CPT, para mandato de três anos. Alguns coordenadores residem em Goiânia e atuam junto à Secretaria Nacional. Outros continuam residindo nas bases, onde já atuavam quando foram eleitos; dedicando, porém, parte do seu tempo para as atividades nacionais.

 

Presidente - Dom Enemésio Lazzaris

Dom Enemésio Lazzaris

 

Nascido em Siderópolis- SC, diocese de Cricíuma - SC, no dia 19 de dezembro de 1948. Estudou Filosofia e Teologia na FAI- Faculdades Associadas do Ipiranga, em São Paulo, e na PUC - Pontifícia Universidade Católica de Belo Horizonte - Minas Gerais. Em Roma, em 1981 e 1982, fez o Mestrado em Teologia Espiritual no Teresianum. Foi diretor e formador no Lar dos Meninos e no Seminário de Belo Horizonte; pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Araguaína, diocese de Tocantinópolis (TO), provincial da Província Orionita de Nossa Senhora de Fátima, com sede em Brasília, de 1998 a 2004. Em seguida foi para Roma, onde até final de 2007 serviu a Congregação como Vigário Geral. No dia 12 de dezembro de 2007 foi nomeado bispo de Balsas (MA) e ordenado na Catedral de Balsas no dia 29 de março de 2008. Em abril de 2009 foi eleito vice-presidente da CPT e na XXIV Assembleia Geral, que aconteceu em Hidrolândia (GO) em março de 2012, foi eleito presidente da instituição e reeleito presidente na XXVII Assembleia, que aconteceu em Luziânia (GO), em março de 2015.

Vice-Presidente - Dom André De Witte

Dom André De Witte

Dom André De Witte nasceu em 31/12/1944 na Bélgica, 3º filho de um casal de agricultores. Seguiu a vocação de ser Padre para a América Latina, atendendo ao convite do Papa na encíclica Fidei Donum. Estudou filosofia e teologia na Universidade Católica de Lovaina e foi ordenado padre a 6 de julho de 1968. Formou-se como engenheiro agrônomo, secção economia e sociologia agrícola, na Universidade Católica de Lovaina (1968-1973) e depois de um estágio pastoral paroquial (1973-1975) chegou ao Brasil no dia 12 de fevereiro de 1976, para trabalhar na Diocese de Alagoinhas (BA). Em equipe com um colega missionário trabalhou na Paróquia de Inhambupe e na Pastoral Rural da Diocese. Recebeu ainda a missão de Vigário Episcopal do Zonal do Sertão, Diretor Espiritual dos seminaristas, Coordenador Diocesano da Pastoral e Vigário Geral. Nomeado pelo Papa João Paulo II 4º bispo da Diocese de Ruy Barbosa, foi ordenado em Inhambupe no dia 28 de agosto de 1994 e começou a missão no dia 18 de setembro do mesmo ano. No Regional NE3 era durante alguns anos o bispo a acompanhar a Juventude, e atualmente é o bispo referencial da CPT. De 1995 a 2003 foi Presidente do SPM – Serviço Pastoral dos Migrantes. Foi Presidente do IRPAA- Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada em Juazeiro e já representou a Igreja Católica na Diretoria da CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviços. Foi eleito Vice Presidente da CPT em sua XXVII Assembleia, realizada em março de 2015.

Coordenador - Padre Paulo César Moreira

Paulo César Moreira

 Nascido em Itamaraju, extremo Sul da Bahia (21/08/1975), participou da Pastoral da Juventude onde encontrou as motivações para ingressar no seminário da Diocese de Teixeira de Freitas, em 2008. Cursou Filosofia e um ano de Teologia no Instituto de Teologia de Ilhéus. Durante o 10º Intereclesial das Ceb’s, que aconteceu no ano 2000 na mesma cidade, conheceu um grupo de agentes de pastoral da Prelazia de São Félix do Araguaia, MT, juntamente com o bispo Pedro Casaldáliga. Neste mesmo ano foi conhecer aquela Igreja e decidiu retornar em 2002 para fazer uma experiência missionária. Chegando lá foi morar em Porto Alegre do Norte, onde conheceu o trabalho da Comissão Pastoral da Terra e desde então passou a visitar as comunidades rurais e conhecer a realidade do campo naquela região. Terminou Teologia no IFITEG, em Goiânia, e retornando para a Prelazia continuou atuando também junto às comunidades rurais. Morou mais um ano em Porto Alegre do Norte e foi ordenado no dia 04 de março de 2007. Foi trabalhar em Santa Terezinha, às margens do rio Araguaia, e depois, juntamente com o amigo padre Zezão, trabalharam nos municípios de Serra Nova Dourada, Novo Santo Antônio e Bom Jesus do Araguaia. Nesta região contribuíram na luta do Acampamento Bordolândia, que no ano de 2011 se tornou Assentamento para 600 famílias. Com a mudança da equipe da CPT Araguaia para a equipe da CPT de Mato Grosso em 2011 (antes era Araguaia/Tocantins), assume juntamente com a irmã Vera e o Nevair a coordenação da CPT no Estado, onde atualmente também contribui. Foi eleito para a coordenação executiva nacional na XXVII Assembleia Nacional da CPT, que aconteceu em Luziânia (GO), em março de 2015.

Coordenador - Ruben Siqueira

 Ruben Siqueira

Paulista de origem (Aparecida-SP, 1956), de coroinha na Basílica Nacional foi para o Seminário Redentorista, em 1969, onde concluiu o ginásio (Tietê-SP) e o colegial (Aparecida-SP), graduou-se em Filosofia e Pedagogia (Aparecida / Lorena-SP) e cursou Teologia (ITESP/SP) até o segundo ano. Em 1980, foi para a diocese de Juazeiro-BA, em companhia de outros colegas, atraídos pela pastoral popular liderada por Dom José Rodrigues de Souza, por muitos anos bispo acompanhante da CPT Regional. Lá chegando logo aderiu à Pastoral da Terra. Atuou por cinco anos na paróquia de Campo Alegre de Lourdes, imerso nas CEBs, nas Pastorais Sociais, nas lutas de terra, sindicais e pela convivência com o semiárido, num quadro de grave seca (até 1983). Em João Pessoa-PB (1986-7) fez Mestrado em Ciências Sociais, estudando o movimento camponês de resistência à barragem de Sobradinho. Foi coordenador da CPT Diocesana de Juazeiro, entre 1988 e 1994, quando assumiu em Goiânia a assessoria sociológica da CPT Nacional. De volta à Bahia em 1998, residindo em Lauro de Freitas, foi coordenador da CPT Regional até 2005, quando assumiu a articulação geral do Projeto São Francisco, parceria da CPT (MG, BA e NE2) com o CPP (Conselho Pastoral dos Pescadores), a serviço da Articulação Popular São Francisco Vivo, projeto que se encerra em abril de 2015. Foi eleito para a coordenação executiva nacional na XXVII Assembleia Nacional da CPT, que aconteceu em Luziânia (GO), em março de 2015.

Coordenador - Thiago Valentim

Thiago Valentim

Nascido em Madalena - Ceará (16/05/1984), no Sertão Central do estado, iniciou ali naquela pequena paróquia sua caminhada pastoral nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), animando as Santas Missões Populares (SMP) e na Pastoral da Juventude (PJ). Em 2001 ingressou no Seminário Diocesano de Quixadá - CE, onde cursou Filosofia (2004) e Teologia (2009). Durante o período de Seminário, participava das atividades da CPT e, em 2010, assumiu a coordenação da equipe diocesana, acompanhando áreas de acampamentos de sem-terra. É bíblista do Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos (CEBI), a partir de onde cursou pós-graduação em Assessoria Bíblica - DABAR pelas Faculdades EST (Escola Superior de Teologia), da Igreja Luterana, em São Leopoldo/RS (2013). A partir de novembro de 2010 integrou a coordenação executiva da CPT Regional Ceará, deixando para assumir a coordenação nacional a partir de março de 2015. Atualmente reside na cidade de Tabuleiro do Norte - Ceará, na região do Baixo Jaguaribe. Foi eleito para a coordenação executiva nacional na XXVII Assembleia Nacional da CPT, que aconteceu em Luziânia (GO), em março de 2015.

Coordenadora - Jean Ann (Jeane) Bellini

Jean Ann (Jeane) Bellini

Estadunidense de nacionalidade, italiana de cultura de berço, viveu no interior do estado de New York. Nasceu em 24 de junho de 1943. Graduou-se em Pedagogia e Biologia em 1965, em Nazareth College, entrou na congregação das Irmãs de São José de Rochester (ISJR) em 1966 e fez Master of Arts em Ensino – MAT (Mestrado) em 1969, em Duke University. Trabalhou oito anos como professora no ensino médio e dois anos como agente de pastoral na faculdade Ithaca College. Em 1976 veio ao Brasil, compor a missão das ISJR, servindo como agente de pastoral na diocese de Jataí, GO, durante seis anos e em 1981 ingressou na CPT, participando do Regional então chamado Centro-Sul por dois anos. Em 1983 foi para a Prelazia de São Félix do Araguaia, onde trabalhou 22 anos entre as comunidades rurais, assessorou o movimento sindical e acompanhou as áreas de conflito e participou do regional Araguaia-Tocantins. Em 2006 mudou para Goiânia e começou como voluntária na biblioteca da Secretaria Nacional da CPT. Entre 2008 e 2013 coordenou a equipe que cadastrou e digitalizou grande parte do acervo documental da Secretaria Nacional. Desde então tem acompanhado os regionais que iniciaram o processo de conservação e digitalização de seus acervos. Foi eleita para a coordenação executiva nacional na XXVII Assembleia Nacional da CPT, que aconteceu em Luziânia (GO), em março de 2015.