COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

Mais de 200 pescadores e pescadoras da Ilha de Maré ocuparam, na manhã de hoje (14), a sede da CODEBA (Companhia das Docas do Estado da Bahia), localizada no bairro do Comércio em Salvador, na Bahia. O protesto é para denunciar a grave poluição química que tem contaminado a ilha e tem adoecido muitos dos pescadores e pescadoras da localidade.

 

(Fonte: Campanha Nacional Pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras)

A CODEBA é responsável pela administração do Porto de Aratu, que fica cerca de um quilômetro da Ilha de Maré. O Porto de Aratu é o principal escoadouro dos produtos produzidos no Polo Petroquímico da Bahia, localizado na cidade de Camaçari (BA).

Há anos o descarte irresponsável dos produtos tem contaminado as águas e adoecido a população de Ilha de Maré. Vários estudos comprovam o impacto dessa contaminação na saúde dos pescadores e pescadoras da localidade. Um dos casos mais graves aconteceu devido ao acidente do navio Golden Miller. Em 17 de dezembro de 2013, o navio das Bahamas espalhou uma mancha de óleo pela Baía de Todos os Santos que chegou até a Ilha de Maré. Problemas de pele e altos índices de chumbo no organismo das crianças foram comprovados em estudos e alertam para a gravidade da situação. 

Em Nota divulgada, os manifestantes denunciam a omissão do Estado brasileiro que segundo eles “tem sido conivente com as irregularidades praticadas pelas grandes empresas e insensível diante do sofrimento das comunidades afetadas”. Na opinião dos manifestantes, os estudos ambientais feitos pelo Estado e pelas empresas são maculados pelos interesses políticos.

LEIA TAMBÉM: CPP lança relatório sobre os conflitos socioambientais enfrentados por comunidades pesqueiras no país

Os manifestantes reivindicam que seja realizado um inquérito epidemiológico, através de exames médicos em todos os moradores de Ilha de Maré, visando identificar a gravidade da contaminação da população, especialmente causada por metais pesados. Os moradores de Ilha de Maré também querem que sejam implementadas na localidade políticas públicas de saúde capazes de tratar as doenças específicas relacionadas com a poluição química que afeta a comunidade.

Documentário denuncia a contaminação
Produção holandesa revela a contaminação da ilha e a maneira como afeta a vida dos moradores de Ilha de Maré.

Confira o documentário: No rio e no Mar

Estudos que comprovam poluição de Ilha de Maré

Dr. Jailson Bittencourt de Andrade. Estudo químico da atmosfera. Relatório da campanha em Ilha de Maré em 2005. Baía de Todos os Santos. Salvador: UFBA, 2009

IGOR RAMOS TAVARES MONTEIRO. Modelagem Etnoecológica do território da pesca artesanal em Ilha de Maré. Salvador: UEFS, 2014.

INGRED GILSALES CARVALHO. A percepção do pescador artesanal e da marisqueira sobre os seus direitos a um meio ambiente de trabalho saudável e as normas do direito ambiental do trabalho brasileiro. Salvador: UFBA, 2013.

ACYOLE, Miguel. Mapa de impactos ambientais no território pesqueiro de ilha de Maré. Projeto Geografar; Projeto MArsol; Salvador: UFBA, 2014.

Maria do Carmo Soares de Freitas, Maria Cecilia de Souza Minayo, Paulo Gilvane Lopes Pena y Neuza Maria Miranda dos Santos. Un ambiente enfermo: significados de la contaminación industrial en Isla de Maré, Bahía, Brasil. Desacatos, num. 39, mayo-agosto 2012, pp. 73-88.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir