COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

As duas décadas de Romaria das Águas e da Terra de Minas Gerais foram celebradas neste domingo, 23 de julho, no município de Unaí. Como processo de preparação, 12 pré-romarias foram realizadas no estado. Confira o documento final:

 

(Imagem: Ítalo Kant)

Sob a inspiração da Campanha da Fraternidade de 2017 – Fraternidade e Biomas Brasileiros – sob a proteção de São Francisco de Assis, patrono da Romaria das Águas e da Terra, e sob a bênção de Maria – a Mãe de Jesus -, nós, romeiras e romeiros da mãe terra e da irmã água, de várias dioceses do estado de Minas Gerais e de outros estados e de todas as paróquias de Unaí, no dia 23 de julho de 2017, participamos da 20ª Romaria das águas e da terra de Minas Gerais.

Caminhando à luz do tema: Povos da Cidade e do Sertão, Clamando por Água, Terra e Pão; e do Lema: Povos, Rios, Veredas e Nascentes são Dons de Deus em Romaria e Resistência. Realizamos 12 pré-romarias em Uruana de Minas, Buritis, Arinos, Chapada Gaúcha, Serra das Araras, Urucuia, Santo Antônio do Boqueirão, Três Marias, São Gonçalo do Abaeté, João Pinheiro, Bonfinópolis de Minas e Unaí. Fizemos uma Caravana Cultural com sete Shows Eco Lógico em sete cidades. Oitenta missionárias/os vindas/os de várias regiões de Minas, de Campinas e da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) fizeram uma semana de Missão em preparação para a 20ª Romaria nas 4 paróquias de Unaí, em comunidades urbanas e camponesas.

Fomos muito bem acolhidas/os pelo povo das comunidades. O bispo dom Jorge Alves Bezerra, da Diocese de Paracatu, acolheu com alegria e deu todo apoio à preparação e à realização da 20ª Romaria, que afirmou em todo o processo a necessidade da luta em defesa das águas; da luta contra os agrotóxicos; da defesa da produção de alimentos saudáveis; da terra e da água como dons de Deus e não como mercadorias; da luta contra as monoculturas e a mineração; reconhecendo a dinâmica da Romaria como bênção para o povo e para o meio ambiente do noroeste.

As/os missionárias/os voltaram radiantes das missões porque experimentaram a presença do Deus da vida no meio do povo, ouviram muitas histórias e clamores por água, terra e pão, visitaram centenas de famílias, refletiram e celebraram a fé na luta pela mãe terra e pela irmã água. Quanta fé! Quanta resistência e sabedoria!

LEIA TAMBÉM: Romaria relembra mártires da luta por justiça no campo e na floresta

Balsas, no Maranhão, se prepara para receber 1º Romaria Nacional do Cerrado

Carta da 40ª Romaria da Terra e das Águas ao Bom Jesus da Lapa

As missões também revelaram muitos problemas e desafios experimentados pelas comunidades rurais: nascentes, córregos e rios sendo secados, muitas pessoas adoecidas. O desmatamento e as monoculturas com uso abusivo de água estão causando desertificação no noroeste de Minas. Unaí e Paracatu são municípios campeões em área irrigada e em número de pivôs, mas de 150 hectares de lavoura irrigada. No noroeste há 77 assentamentos de reforma agrária, muitos estão precisando de caminhão pipa para o abastecimento humano.

Temos o compromisso de revertermos esta situação, de modo que, as águas e a terra sejam preservadas como Dádivas de Deus para as gerações futuras e para todos os organismos vivos. Na Caminhada da 20ª Romaria fizemos três paradas: na ponte do Rio Preto, onde ouvimos o Grito da Irmã Água; na Praça da Matriz, a Palavra bíblica e do nosso pastor – Papa Francisco – e na Praça São Cristóvão, o Grito da Mãe Terra.

A mãe terra é um grande organismo vivo e a irmã água é seu sangue. Que bênção! Com cantos, denúncias e anúncios celebramos a nossa 20ª Romaria das Águas e da Terra de Minas Gerais, confiantes que em mutirão pela vida – os povos da cidade e do sertão – clamando por água, terra e pão – construiremos um novo céu e uma nova terra (Isaías 65,17-25) com nascentes, veredas, córregos e rios – revitalizados e assumidos como dons de Deus em Romaria e Resistência! Amém, Axé, Awerê, Aleluia, Uai!

Unaí - noroeste de Minas Gerais, Diocese de Paracatu, 23/7/2017.