COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

Na noite do dia 31 de outubro e manhã do dia 1 de novembro, cerca de três mil pessoas vindas de várias comunidades rurais e da cidade se juntaram a Comissão Pastoral da Terra para realizar mais uma Romaria da Terra, evento que já se tornou uma tradição na memória dos agricultores e agricultoras que participam da luta pela Terra na Diocese paraibana.

 

(CPT Paraíba)

 

Esta já foi a 27ª edição do evento que acontece todos os anos.

Neste ano o trajeto teve início na Comunidade do Projeto de Assentamento 21 de Abril em direção às terras do futuro Assentamento Elizabete Teixeira, atual acampamento da Fazenda Antas, onde cerca de 30 famílias amargam 18 anos de espera pela desapropriação desta propriedade. Região palco das ligas camponesas no estado da Paraíba.

Os e as romeiras caminharam cerca de 10 quilômetros durante a noite toda iniciando com a celebração eucarística, ponto alto da Romaria, celebrada pelo Frei Anastácio e concelebrada pelos Padres da CPT: Pe. Hermínio Canova, Pe. João Maria, Pe.  Alex e Fr. Jean, estes apoiam a luta dos agricultores e o Pe. Edvaldo, da paróquia anfitriã de Nossa Senhora da Conceição em Sapé. Em seguida teve início a caminhada com o percurso de 4,5Km até a cidade de Sobrado, onde foi feita a primeira parada para o descanso dos romeiros. Nesta parada teve o tradicional café e chá com beijus e tapiocas distribuídos pelas comunidades rurais da paróquia de Sobrado. Teve apresentação feita pelos jovens do PA Chico Mendes e ciranda pela comunidade do PA Dona Antonia. A caminhada continuou por mais três quilômetros até a Comunidade do PA Nova Vivência, que na ocasião celebrou seus 18 anos de entrada na terra. Nesse local houve uma apresentação pelos grupos de jovens das Comunidades do PA Canudos e 21 de abril. Teve barracas com comidas típicas preparadas pela comunidade, onde os romeiros podiam reabastecer suas energias para dar continuidade à caminhada ate ao acampamento Barra de Antas por mais 2,5 quilômetros, onde foi feito o encerramento da Romaria com a plantação da Cruz, grande símbolo da Romaria, nas terras do futuro Assentamento das 30 famílias.

A Romaria teve com tema: “Sangue dos mártires, terra livre” e o lema: “Memória, rebeldia e esperança”. Este foi o combustível da motivação de todas as atividades da Romaria que aproveitou para prestar solidariedade as famílias das comunidades de Salgadinho, Fazendinha e Pau a pique que estão sofrendo ameaças e perseguições de capangas e dos proprietários. Foi uma caminhada animada, onde os romeiros cantavam, dançavam, denunciaram as práticas de violências praticadas contra os camponeses. Mas também, celebraram,  agradeceram e louvaram a Deus pelas conquistas nestes anos de lutas.

 

O destaque da Romaria da Terra da nossa Diocese e a participação da Juventude que é de 90% da presença dos romeiros e 95% dos participantes é das comunidades camponesas.

“Para nós da CPT, este evento é o ponto alto das nossas atividades, já que aconteceu no território onde foi o palco das lutas camponesas nas décadas de 50 e 60 onde as grandes lideranças como João Pedro Teixeira, Pedro Fazendeiro e Nego Fubá, que deram as suas vidas em defesa da Reforma Agrária, e não podemos esquecer Elizabeth Teixeira grande símbolo destas lutas, que continuou  o legado em defesa da vida e da terra! Um verdadeiro momento de reabastecimento das nossas energias para continuar a luta em defesa da democracia, do acesso a terra e reconhecer a presença maciça dos jovens como certeza de continuidade da vida no campo”, Ana Hélen Vieira, CPT Paraíba.

 

 

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir