COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

 

 

“Às sombras dos eucaliptos choramos a saudade dos tempos de fartura”. Aproximadamente quatro mil romeiros e romeiras de todas as regiões do Paraná chegaram até Congonhinhas, Norte Velho do Estado, Diocese de Cornélio Procópio, no dia 17 de agosto. A região, que já sofre os impactos do monocultivo de eucaliptos, recebeu a 28ª Romaria da Terra do estado, cujo lema foi motivado pela Comissão Pastoral da Terra, em sintonia com a Igreja do Brasil, de forma a fortalecer a luta contra a prática do monocultivo, que tem destruído a cultura camponesa, submetendo o povo pobre ao trabalho escravo e ameaçando a soberania alimentar da população.

 

Momentos da Celebração:

Denúncia – Os camponeses/camponesas, lideranças religiosas e Civis fizeram uma reflexão sobre os impactos do monocultivo e ao mesmo tempo denunciaram suas consequências para a vida harmoniosa do homem e da mulher no campo. A voz firme e forte de uma família de camponeses acompanhada pela Pastoral da Terra da diocese de Cornélio, se uniu ao grito da sociedade e dos romeiros para dizer não ao modelo de monocultivo de eucalipto no estado do Paraná e Brasil.

Caminhada – Nos pés da Cruz foram colocados os sofrimentos das famílias camponesas, encurraladas pelo latifúndio, as ameaças à cultura e à produção de alimentos saudáveis, e o compromisso de fortalecimento da luta pelo fortalecimento da agricultura familiar camponesa, cultivada a partir dos princípios agroecológicos. Com esse intuito nas ruas de Congonhinhas, os participantes cantaram, rezaram , denunciando o modelo opressor,  mostrando sua força e disposição de lutar para que a prática do bem viver nunca venha a ser exterminada.

Partilha – Na roda da fraternidade, os romeiros e romeiras partilharam os alimentos , fizeram suas falas, cantaram suas músicas típicas, recitaram suas poesias, trocaram afetos, se confraternizaram, gestos  que se repete  todos os anos na Romaria.

Finalizando, o que mais nos marcou no encerramento da 28ª Romaria da Terra foi a convocação para continuarmos firmes na caminhada. Homenageados, Dom Tomás e Dom Ladislau , companheiros eternos da luta nos convocaram. Neste momento enquanto o animador falava, banners dos Bem Aventurados passaram em meio aos participantes. Nosso bispo Referencial, Dom Getúlio Guimarães, e o bispo diocesano Dom Manuel, deram a benção da lembrança e do símbolo da Romaria, as mudas de café, produto típico da agricultura camponesa da Região e o bolo de fubá, alimento também tradicional das famílias camponesas da Região, que foram carinhosamente preparados pelas famílias de várias comunidades.

Antes da despedida, Pe. Dirceu Fumagalli, da Coordenação Regional da CPT PR, deu a notícia sempre esperada pelos Romeiros e Romeiras, o local da próxima Romaria. Será em Timbó Grande, Santa Catarina, no segundo domingo de setembro de 2015, na Festa de Santa Cruz – A Romaria Interestadual Histórica do Contestado. Organizada pelos quatro estados da Grande Região Sul da CPT.

Relato: Juvenal Rocha – CPT PR.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir