COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

Marcus Vinicius de Oliveira, docente aposentado da Universidade Federal da Bahia (UFBA),  mais conhecido como Marcus Matraga, foi alvo de emboscada na noite da última quinta-feira (4), no município de Jaguaripe, região do Recôncavo baiano. Professor atuava na luta antimanicomial e na mediação de conflitos de terras na região.

 

(Com informações do Jornal Brasil de Fato/Imagem: Reprodução-Correio 24 Hrs) 

De acordo com informações da Polícia Militar, ele foi levado de casa por volta das 19 horas por dois homens que se diziam ser parentes de uma amiga sua, que estava passando mal. Ao sair de casa, Marcus foi rendido e levado de carro até uma estrada de terra da região. Lá, ele foi executado. Os criminosos fugiram em seguida.

Militante da luta antimanicomial e da democratização da psicologia no país, o professor tinha um histórico de lutas no setor da saúde. Diversas entidades lamentaram a sua morte nas redes sociais. O Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-BA) soltou nota dizendo que o professor mostrou “a necessidade de não se calar diante das injustiças e de lutar para a construção de uma sociedade mais justa”.

Já o Conselho Regional de Psicologia de São Paulo (CRP-SP) reforçou que o professor “foi uma grande liderança na construção de uma profissão comprometida com a Justiça e a igualdade e da sua democratização. Inquieto, nos instigou a problematizar a ciência e a profissão, apontando para sua necessária descolonização”.

Suspeita

Marcus Vinicius vinha atuando na mediação de conflitos fundiários entre a comunidade local e fazendeiros. Sua morte tem sido associada a tais atividades. “Ao que parece, [foi vítima] em função de sua atividade política na mediação de conflitos de terra, em circunstâncias a ser apuradas pelas autoridades competentes”, afirma o site da UFBA em sua nota de pesar.

Confira a Nota da UFBA na íntegra:

A Universidade Federal da Bahia recebeu, consternada, a notícia do falecimento, em circunstâncias trágicas, há poucas horas, do professor aposentado do Instituto de Psicologia Marcus Vinicius de Oliveira. O professor era, nas palavras da diretora do IPSUFBA, Ilka Bichara, “um grande combatente das causas sociais, principalmente na luta antimanicomial”. Em nota o Conselho Federal de Psicologia destacou a sua participação na consolidação da Psicologia no Brasil, tendo integrado diversas gestões do CFP e dos conselhos regionais de Minas Gerais e Bahia.

Marcos Vinícius foi vítima de homicídio, no município de Salinas das Margaridas, onde morava, ao que parece, em função de sua atividade política na mediação de conflitos de terra, em circunstâncias a ser apuradas pelas autoridades competentes. Assim que o corpo for liberado, seguirá para Belo Horizonte onde ocorrerá o sepultamento.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir