COMISSÃO PASTORAL DA TERRA

 

2015 foi um ano de diversas romarias. De continuidade e também surgimento de romarias. Cerca de 70 mil pessoas presentes. De Norte a Sul do Brasil.

 

(Elvis Marques, Setor de Comunicação da CPT)

“Salve, salve a caminhada! Salve, salve a romaria! Em busca da nova aurora de um novo dia”, canta Zé Vicente, assim como cantaram milhares de romeiros e romeiras ao longo de 2015. Cerca de 70 mil pessoas participaram, neste ano, das 17 romarias que a Secretaria Nacional da CPT recebeu informações. De Norte a Sul. Em todas as regiões do Brasil, lá estava o povo em romaria. E “bendita seja esta marcha dos romeiros da esperança”, como já dizia Vicente. Algo que ficou nítido nas romarias é que apesar da “conjuntura” de escuridão no campo e na cidade, vimos o povo gritar, e bem alto, de uma forma ou de outra, "Faz escuro, mas cantamos".

Ao observar os temas e lemas das romarias deste ano percebe-se a forte presença das memórias, rebeldias e esperanças dos/as mártires da caminhada. Mártires estampados nos rostos de romeiros e romeiras, em suas falas, ou em camisetas, faixas, estandartes, bandeiras e quadros. Também ficou evidenciada, nas romarias, a força e a luta das comunidades tradicionais pelos territórios livres e pelo bem viver, o acesso à água, e o repúdio aos "projetos da morte" que têm passado por cima da vida de tanta gente. Outro ponto que se destaca nas romarias – e é quase, senão unânime – são os momentos preparativos de formação que as antecedem. Assim como os espaços de formação que ocorrem ao longo de um evento como esse.

Na Bahia, região de Campo Alegre de Lourdes, as comunidades entoaram: “Sim à vida e não para mineração”, durante Romaria do Sul da Bahia. E por falar em Bahia, apenas neste estado aconteceram quatro romarias – em Bom Jesus da Lapa, Puxim, Correntina e Campo Alegre de Lourdes. Entre os dias 3 e 5 de julho ocorreu a 38º edição da tradicional Romaria da Terra e das Águas de Bom Jesus da Lapa, que trouxe como tema “Defender as águas, um direito sagrado”. Foram cerca de sete mil participantes. Durante a programação da romaria aconteceram os “Plenarinhos” – espaços de debates já tradicionais no evento, que esse ano homenageou religiosos/as que dedicaram suas vidas às causas do povo.

Em Timbó Grande, no estado de Santa Catarina, mesmo com uma manhã gelada, cerca de 10 mil romeiros e romeiras se reuniram para fazerem memória aos milhares de caboclos e caboclas que morreram na luta do Contestado, há 100 anos. “Redutos de resistência, esperança e encantamento da vida” foi o lema da Romaria do Centenário do Contestado, que ocorreu no dia 13 de setembro. Dom João Salm, bispo da Diocese de Tubarão (SC) ressaltou que a Romaria foi "um momento em que tomamos consciência de uma verdade histórica, pois as lutas fazem parte da história da humanidade; lutas por oportunidades, por aquilo que não concordamos e que não está de acordo com o evangelho. É uma forma de proclamar em voz alta que não nos conformamos com aquilo que não nos dignifica".

Representantes de aproximadamente 70 Dioceses de São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul estiveram presentes no Centenário do Contestado. “A experiência do Contestado inspira a CPT nestes seus 40 anos, para que continue sendo profética, servidora, solidária, companheira diária dos povos da terra, das águas e das florestas, igualmente perseguidos hoje, como foram há 100 anos atrás”, afirmou Thiago Valentim, da coordenação executiva nacional da CPT, que participou da romaria.

Mártires Presentes Na Luta!

“Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão!”. Este foi o tema da 14º Romaria da Terra e da Água Padre Josimo, realizada em Colinas do Tocantins, nos dias 8 e 9 de maio, quando cerca de mil pessoas participaram – entre os presentes estava Dona Olinda, mãe de Josimo.

O lema desta romaria do Tocantins, retirado de um canto, quando entoado pelo povo, certamente se confunde com as histórias e lutas de tantos mártires que estiveram, e estão, Presentes na Luta de seu povo, que jamais deixa a memória desses lutadores/as morrerem. "Evocar os mártires da terra é evocar a ancestralidade da luta. Traz pra gente a força para continuar e seguir lutando pelos que virão. Nós somos o fruto da semente que esses mártires plantaram", ressalta Vanúbia Oliveira, da CPT Paraíba.

Em Timbó Grande, SC, cerca de 10 mil romeiros e romeiras participaram da Romaria do Centenário do Contestado.
Foto: Organização/Facebook

No dia 12 de setembro, a CPT do Espírito Santo realizou a primeira Romaria dos Mártires, que fez memória aos 26 anos do assassinato de Valdicio Barbosa, conhecido como Léo. Ele foi assassinado em 1989, no município de Pedro Canário. Crime impune, que prescreveu e teve processo arquivado. História que se repete no campo brasileiro. A Pastoral e a família de Léo organizaram a Romaria no sentido de resgatar a memória dele, que contribuiu com a luta de muitos trabalhadores/as da região.

O município rondoniense de Machadinho do Oeste recebeu mais de setenta ônibus e centenas de carros com pessoas de todos os cantos do estado para a 10ª Romaria da Terra e das Águas de Rondônia, ocorrida no dia 23 de agosto. Foram mais de quatro mil pessoas presentes. Segundo a CPT-RO, “a Romaria foi mais um momento histórico, com a principal missão de replantar em cada coração um jeito de ser Igreja, comprometida com a caminhada do povo pobre”. Além disso, os 30 anos de martírio de padre Ezequiel Ramin foi lembrado pela romaria. Na oportunidade, foi apresentado um vídeo sobre o pedido de beatificação do religioso pela Igreja.

Ao longo de 30 anos de registros e publicação do “Conflitos no Campo Brasil”, pela CPT, pelo menos 1.723 homens e mulheres tombaram no campo. Esta realidade de violência e de massacres sofridos pelos camponeses/as é, com certeza, um dos motivos pelo qual a CPT reafirma a importância de fazer presente a memória daqueles/as que morreram em defesa da vida. "Os mártires viveram a radicalidade de Jesus", ressalta Ruben Siqueira, da coordenação executiva nacional da CPT. "Para nós, a memória desses mártires é a reatualização da memória de Jesus, que se doou totalmente até o martírio pela vida dos outros. O sangue derramado na luta pela terra é sempre relembrado por nós, para que ele nos fortaleça", complementou.

Romarias do Cerrado

E no Cerrado vimos surgir, em forma de romaria, o grito dos povos e comunidades do Cerrado – já são quatro romarias do Cerrado do ano passado até hoje. No município de Correntina, Oeste da Bahia, aconteceu a segunda Semana do Cerrado, entre os dias 7 e 11 de setembro. Ao longo dessa semana ocorreram, entre outros eventos, o IV Seminário e a 2ª Romaria do Cerrado – cerca de 2 mil pessoas participaram. "Em menos de 50 anos, o avanço do agronegócio nos Cerrados, em especial no Oeste Baiano, consumiu cerca de metade do que a natureza gastou milhões de anos para criar e existia há 65 milhões de anos", destacou a Carta Final da Romaria. Para contrapor esse "sistema da morte", a Romaria debateu o tema "Cerrado em Pé: a Vida brota das Águas".

Em Cuiabá, MT, aconteceu a 1ª Romaria das Comunidades e Povos do Cerrado juntamente com o 21º Grito dos Excluídos.
Foto: CPT

Já Cuiabá, no Mato Grosso, acolheu a 1ª Romaria das Comunidades e Povos do Cerrado, que aconteceu juntamente com o 21º Grito dos Excluídos. Romaria teve como tema "Um grito dos excluídos na cidade e no campo do Mato Grosso". Cerca de 500 romeiros e romeiras caminharam pelas ruas do Centro Político Administrativo da capital. Os/as caminhantes realizaram cinco paradas em frete a órgãos públicos, onde cruzes eram fixadas no chão – ao som da canção de Chico Buarque “Funeral de um lavrador” – simbolizando a luta, sacrifício e a resistência dos povos.

O Fórum de Cuiabá foi o palco final da Romaria. Espaço onde romeiros e romeiras, muitos despejados de suas terras, aproveitaram para protestarem contra as violações e violências do Judiciário estadual. Adriana Sant’Anna, juíza da Vara Agrária, foi chamada de “Miss Despejo”, pois já emitiu diversas liminares de despejo contra trabalhadores e trabalhadoras rurais do estado. Ao fim, ainda foram lembradas as inúmeras pessoas assassinadas no campo. Várias cruzes foram fixadas no jardim do órgão.

O Santuário Nossa Senhora do Coco da Aparecida, em Balsas, no Maranhão, recebeu, nos dias 15 e 16 de agosto, a 1ª Romaria Diocesana do Cerrado, que teve como lema "Deus criou o Cerrado e a nós confiou o seu cuidado". Cada Paróquia participante, cerca de 17, ficou responsável por trabalhar, durante a romaria, um eixo temático, como: “Desmatamento e venenos trazem morte” e “Terra e Águas para a Vida e não para negócios!”.

Juventude

"O destaque da Romaria da Terra da nossa Diocese é a participação da Juventude, que foi de 90% dos romeiros", destacou a CPT Paraíba sobre presença dos/as jovens em sua 27ª Romaria da Terra, que ocorreu nos dias 31 de outubro e 1º de novembro. Tanto a presença como a participação da juventude nas romarias foram expressivas e ressaltas em muitos relatos.

Antecedendo a 38ª Romaria da Terra do Rio Grande do Sul ocorreu a 10ª edição do Acampamento da Juventude, nos dias 15 e 16 de fevereiro, em David Canabarro. Cerca de 450 jovens participaram do encontro. A juventude refletiu, especialmente, sobre a questão da sucessão rural familiar. "Foi uma oportunidade a mais de ajudar a juventude a assumir e se sentir parte integrante e responsável na luta pela justiça e pela paz entre os povos. A força da juventude é fundamental nesta empreitada da vida”, afirmou dom Altieri, então arcebispo metropolitano de Passo Fundo.

Durante a 38ª Romaria da Terra e das Águas de Bom Jesus da Lapa, na Bahia, o "Plenarinho da Juventude" contou com mais de 600 participantes, que refletiram sobre o tema: "Juventude e as Águas – Lutas e Vidas Sagradas".

As Romarias de 2015:

Romaria do Centenário do Contestado – Timbó Grande, Santa Catarina. 13 de setembro.

Romaria do Sul da Bahia – Puxim. 04 de outubro.

Romaria dos Mártires no Espírito Santo – Pedro Canário. 12 de setembro.

1º Romaria do Cerrado e Grito dos Excluídos – Cuiabá, Mato Grosso. 1º de setembro.

1º Romaria Diocesana do Cerrado – Balsas, Maranhão. 15 e 16 de agosto.

2º Romaria do Cerrado e IV Seminário/Semana do Cerrado – Correntina, Bahia. 07 a 11 de setembro.

5ª Romaria em Defesa da Vida – Campo Alegre de Lourdes, Bahia. 21 de junho.

7ª Romaria das Águas e da Terra - Delmiro Gouveia, Alagoas. 26 e 27 de setembro.

10ª Romaria da Terra e das Águas de Rondônia – Machadinho do Oeste. 23 de agosto.

12ª Romaria Estadual da Terra e das Águas do Maranhão – 17 e 18 de outubro.

14ª Romaria Padre Josimo – Colinas, Tocantins. 8 e 9 de maio

17ª Romaria da Terra e 1ª Romaria das Águas do Ceará – Viçosa do Ceará. 02 de agosto.

18ª Romaria da Terra e das Águas de Minas Gerais - Brejo dos Crioulos. 04 de outubro.  

27ª Romaria da Terra da CPT da Arquidiocese da Paraíba – Sapé. 31 de outubro e 1º de novembro.

28ª Romaria da Terra e das Águas de Alagoas - Branquinha. 28 e 29 de novembro.

38ª Romaria da Terra do Rio Grande do Sul e 10º Acampamento da Juventude – David Canabarro. 17 de fevereiro

38ª Romaria da Terra e das Águas de Bom Jesus da Lapa – Bahia. De 3 a 5 de julho.

Gostou dessa informação?

Quer contribuir para que o trabalho da CPT e a luta dos povos do campo, das águas e das florestas continue? 

Clique aqui e veja como contribuir